COMPARTILHAR

Fonte: Uol

Na última terça-feira (21), a agência de notícias “Bloomberg” divulgou a informação passada pela Uber de que cerca de 57 milhões de pessoas em todo o mundo, entre usuários e motoristas do aplicativo, tiveram seus dados expostos em um ciberataque em outubro de 2016. E os usuários brasileiros, devem se preocupar com isso? Segundo o que sabemos até agora, não muito. (…)

O professor de direito digital e proteção de dados da Escola Paulista de Direito Rony Vainzof não viu com muita surpresa o vazamento na Uber, já que o atual momento está pondo à prova a segurança da informação de grandes empresas – o Yahoo soube disso bem, pois passou por vazamentos de bilhões de senhas de e-mails nos últimos anos. Para o especialista, o antídoto por enquanto é investir em políticas preventivas mais pesadas. “É necessária uma avaliação de riscos por meio de mapeamento e análise de dados e processos de todo o ciclo de vida dos dados dentro da empresa”, explica. Para ele, empresas que atuarem dessa forma terão nisso até mesmo um atrativo para novos clientes.

Leia a matéria completa clicando aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe o seu comentário
Por favor, insira o seu nome