COMPARTILHAR

Fonte: CIO

Para se defender de ataques deste tipo, as empresas precisam reduzir a vulnerabilidade de seus sistemas operacionais, programas e navegadores, os mantendo atualizados

por Eduardo Sanches*

Os ataques de Ransomware, sequestro de dados, cresceram fortemente nos últimos dois anos. Dados apresentados durante a 7ª Cúpula Latino Americana de Analistas de Segurança demonstram que, entre de 2016 até setembro de 2017, foram mais de 80 mil ataques somente na América Latina e mais da metade deles (55%) ocorreram no Brasil, praticamente o dobro da soma de México (23%) e Colômbia (5%).

O Ransomware é um tipo de software malicioso (malware) que após se instalar no computador, passa a criptografar os dados do usuário, impedindo assim o acesso a arquivos e sistemas, para forçar a vítima a pagar um resgate em moeda virtual para liberá-los. Caso não ocorra o pagamento exigido, o usuário perde permanentemente o acesso a suas informações. A infecção do sistema ocorre como em qualquer outro tipo de vírus: através de e-mail, páginas web maliciosas, escondidos em um instalador ou aproveitando-se de vulnerabilidades na rede e aplicações.

Para evitar ataques deste tipo, as empresas precisam reduzir a vulnerabilidade de seus sistemas operacionais, programas e navegadores, os mantendo atualizados. Esta postura ajuda na prevenção, uma vez que os fornecedores trabalham constantemente para corrigir falhas e melhorar a segurança de seus produtos.

Outra medida é ter proteção contra SPAM. Neste sentido, é importante explorar dois aspectos. O primeiro consiste nas configurações para bloqueio dos chamados phishing – e-mails falsos e mensagens de redes sociais se passando por comunicados de lojas, bancos ou outras instituições, que levam o usuário a clicar em links instalando assim, o programa malicioso. O segundo envolve treinamento e campanhas de conscientização aos colaboradores da empresa para que saibam identificar e diferenciar as mensagens que recebem em seu ambiente de trabalho. A comunicação interna efetiva e o engajamento dos usuários são grandes aliados no processo de prevenção.

Realizar backups regulares de seus arquivos importantes é fundamental. O recomendado é criar duas cópias, uma na nuvem e outra gravada em uma mídia física sem acesso à rede. No caso de um ataque com Ransomware, o backup permite que cópias limpas dos arquivos sejam restauradas, caso as informações ativas nos sistemas venham a ser criptografadas. Além disso, garante à empresa a prevenção em diversas situações, como a exclusão acidental de arquivos e a restauração de dados danificados.

ransomware

A garantia de proteção e integridade das informações de uma empresa é fator fundamental de sucesso no mercado e valorização de sua imagem. No ambiente corporativo, em que a concorrência acirrada pela liderança do mercado conta com fatores como integridade nas informações, rapidez nas análises e principalmente segurança e proteção de dados, a vulnerabilidade de um sistema pode colocar em risco toda a operação. O sequestro das informações por um longo período pode comprometer, e muito, o desempenho da companhia, além do prejuízo causado pelos resgates solicitados para liberação dos dados. Portanto, investimento em prevenção é o maior aliado na guerra contra os ataques cibernéticos.

(*) Eduardo Sanches é sócio-diretor da VSI (Ventiv Solutions International).

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe o seu comentário
Por favor, insira o seu nome